Wednesday, December 15, 2010

O Natal e (os) Nós...

.

"...e ela deu à luz seu filho primogênito, envolveu-o com faixas e reclinou-o numa manjedoura, porque não havia um lugar para eles na sala (ou alojamento, estrebaria)." (Bíblia de Jerusalém)

"...e ela deu à luz a seu filho primogênito, envolveu-o em panos, e o deitou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria." (Bíblia de Thompson)

Evangelho de Lucas 2: 7

.

Estamos nos Advento. Dentro do calendário litúrgico organizado pelos cristãos, preparamos a nossa vida e consciência para a reflexão - e vivência - de uma memória: a vinda do Salvador entre nós.

No entanto, mesmo entre os religiosos, ateus, agnósticos e os que professam outra fé, todos mergulhados num mundo onde a pressa, consumo e a alienação de si - e do outro - são altamente cultuados, instala-se, em nosso coração, um mal-estar. Porquê diante de tantas gostosuras, luzinhas enfeitando as árvores natalinas e os (des)encontros promovidos pelas famílias ao redor da mesa, nota-se uma fome não saciada na boca da alma, suscita-se as dobras de ressentimento, diante da estupidez gratuita de nossos parentes, somada as flagelações verbais que, relembrando, cometemos no cotiano. E estranhamente, surge um dúbio sentimento, de um bem que se esvai do coração da gente e, ambiguamente, esse desejo de abraçar e alçar um Bem ao mundo. Mas, com o coração infiltrado por essa angústia "natalina", encerra-se mais um ano, e sabe-se lá o porquê, catapulta-se em nós esse vazio e enfim, diante de tanta confusão em nossos sentimentos e ações, o que temos que comemorar nesse Natal?

Jesus Cristo, muitas vezes mal-configurado pela religião dogmática e pouco cultivado numa relação viva e íntima em nosso cinzento dia-a-dia, vivência que espelha-se como no texto de Lucas. Maria, fragilizada com as dores no parto, exilada, longe do conforto de casa, dá a luz ao Deus que se ultra-fragilizou num ventre materno. Deus que pede colo e o seio materno pra se alimentar. Ora, não tendo onde descansar, o menino-Deus dorme não em um berço e sim numa manjedoura, ambiente sujo e inóspito para uma criança, lugar este onde os bois e cabras se alimentam. Não muito diferente do coração humano. E o texto continua: "...não havia lugar para eles na sala (ou hospedaria). Nada diferente do coração humano.

Só que se prestarmos atenção, foi Ele que escolheu nascer nesse ambiente e conviver entre nós. O nosso olhar não deve cristalizar-se somente no ambiente. E sim, numa Presença. A Presença do Maravilhoso, Conselheiro, Deus-Forte, Pai da Eternidade, o Príncipe da Paz está entre nós! Nos alegremos! Deus não escolheu um lugar especial pra ficar. Ele não vaticanizou ou institucionalizou a Sua vinda. Ele escolheu estar entre gente, entre os Seus.

Assim, neste mundo, caminhamos, trôpegos, nesse labirinto escuro de escolhas efêmeras - comidas e consumo excessivo - mas, contrariamente, vemos um anseio silencioso e inquietante em nossa alma, essencial, o desejo de Luz e desfrute do Absoluto.

Num mundo cheio de ruídos e barulhos, silenciar-se chega a ser falta de educação. O coração humano carece de períodos de silêncio pra se recompor. É como na vida de casal. Silêncio para ouvir ao outro, olhar nos olhos e buscar uma tentativa de aprofundar nossos pífios relacionamentos.

E assim, entramos na dimensão da oração. O que é oração? Talvez seja esse monólogo íntimo que, aos poucos, se transfigura num diálogo. Balbuciar poucas palavras, que sendo autênticas, quebra os espelhos ilusórios que construímos para nos afirmar cotidianamente. Não há a necessidade de afirmação em Cristo, só Amizade e Amor. Há excesso de palavras desnecessárias no dia-a-dia, como expressa T.S. Eliot em Quarta Feira de Cinzas: "Se a Palavra perdida se perdeu, se a palavra usada se gastou..."

Natal só tem sentido em Cristo. Jesus Cristo é o Aniversariante. É Ele que nos convida para uma festa, a festa-em-si não tem valor se a Presença de Jesus não for efetiva. Jesus que nos ama, é pouco amado e nos convida a amar o outro. O outro além dos nossos vínculos parentais, são aqueles que muitas vezes "fugimos" da presença - no trabalho, dentre outros - por mágoas, ressentimentos e medo. Ser uma presença efetiva entre os que fogem dos padrões sociais e estéticos, os pequeninos que estão na rua, a carta ao presidiário e uma visita aos debilitados física e psiquicamente.

Porque Ele veio para dar Vida à todos. E vida em abundância. Que o nosso coração, mesmo sendo uma manjedoura, abrigue esse Jesus, a alegria dos homens, que no fim, encarnou-se para ser nosso acolhedor, Amado e Salvador.

.

9 Comments:

Blogger Diego Venancio said...

querido amigo Bruno...belo texto meu mano. Essa visão do Deus-menino é em si uma grande loucura...o salvador tão frágil. Obrigado.

11:04 AM  
Blogger Silvia Mendonça said...

Você conseguiu enriquecer o que já era rico. Gostei demais do texto e amei a frase: "Num mundo cheio de ruídos e barulhos, silenciar-se chega a ser falta de educação."

Uma única sugestão: poste mais seus escritos. São relevantes. Como não são ruído nem barulho.... seu silêncio é lastimável.

beijinhos

3:15 AM  
Blogger Priscila Ferminio said...

Excelente texto... Especial.

4:25 PM  
Anonymous Anonymous said...

LIndo texto, Bruninho!

Mara

11:44 AM  
Blogger Raquel Vilar said...

This comment has been removed by the author.

2:12 PM  
Blogger Raquel Vilar said...

Agora , vai...o comentário: "Assim, neste mundo, caminhamos, trôpegos, nesse labirinto escuro de escolhas efêmeras - comidas e consumo excessivo - mas, contrariamente, vemos um anseio silencioso e inquietante em nossa alma, essencial, o desejo de Luz e desfrute do Absoluto"...Sua reflexão, absurdamente coerente, toda ela, mas, em destaque o trecho acima, me fez pensar de novo sobre o significado das luzes, sobre o silêncio e sobre o "caminho", via de acesso à santidade, e à salvação, temas recorrentes em minhas reflexões, intuições e apontamentos do Espírito...Uma canção nasceu deste contexto, faz alguns anos...enfim, meios de Deus, e nós, apenas seus instrumentos. Qualquer dia desses, compartilho contigo. Abraço, e a Paz!

2:23 PM  
Blogger Rodrigo said...

Tudo é uma questão de ponto de vista,e com o passar dos séculos a visão do ser humano se desgasta,agradeço a você por desembaçar aminha vista;espero que muitas pessoas possam degustar destas visão privilegiada. Abraço Primão. Rodrigo Nogueira.

12:30 AM  
Blogger tiago vianna said...

UAU

11:58 AM  
Anonymous Encuentra mas videos aquí said...

Thanks on your marvelous posting! I actually enjoyed reading it, you could be a great author.I will make certain to bookmark your blog and may come back down the road. I want to encourage you to continue your great posts, have a nice day!

12:08 PM  

Post a Comment

<< Home